domingo, 29 de janeiro de 2017

Pierre Louys/Maria Gabriela Llansol






















Poema do livro “Les Chansons de Bilitis”, de 1894, de Pierre Louys, traduzido por Maria Gabriela Llansol.

Os conselhos

Então Syllikmas entrou e, vendo-nos tão à vontade,
sentou-se num banco. Sentou Glótis num dos seus joelhos,
e Kisé, no outro. Disse:

“Chega aqui, pequena.” Mas eu, se longe estava, longe fiquei.
Ela insistiu: “tens medo de nós? Aproxima-te:
estas duas adoram-te. Ensinar-te-ão o que ignoras.
o mel das caricias de uma mulher.

O homem é violento e preguiçoso.
Não é coisa que ignores, certamente. Odeia-o.
Tem o peito achatado, a pele áspera, os cabelos rapados,
os braços peludos. As mulheres, pelo contrário,
são belas dos pés à cabeça.

Só as mulheres sabem amar. Fica connosco,
Bilitis, não te vás embora. E, se tiveres uma alma intensa,
verás, como num espelho, tua beleza projectada
no corpo das que te amarem”.


In LOUYS, Pierre. O sexo de ler em Bilitis. Tradução de Maria Gabriela Llansol.  Relógico d’Água, 2010.



Cica dos oitis

Cica dos oitis      Um contrassamba para Hélio Oiticica O sol cica dos oitis seca redundância um gole de parangolé pin...