Modo abrasivo




Obra do artista plástico mineiro José Madureira Vasconcellos
















 

 

 Poema do meu último livro, Movimento Suspeito (Urutau, 2016).



Modo abrasivo

Todo passado
imperfeito
se apaga
quando
conjugo
o teu rosto
imperativo
categórico
com olhos
flexionados
no futuro
falacioso
do subjetivo.

Você,
primeira e única
pessoa
de qualquer discurso,
flexiona
nervos e verbos
secretamente
defectivos;
amar,
por exemplo.


Comentários

Postagens mais visitadas