Lâmina cega

 
 
Mais um poema do livro Movimento suspeito (Urutau, 2016)
 
 
Lâmina cega

nas papilas
infiltrava-se
o gosto
não coado
de mágoas
pretéritas

memória
gustativa
reacendia
no miolo
do mês
faca
de cortar pão
cortando
ferrugem
de conversas
em que tudo
o que se dizia
virava farelos
 
 

Comentários

Postagens mais visitadas