Carona para o inalcançável





















você abria o vidro
com a mão direita
apesar do cigarro
e do rádio
aberto no peito
espalhando
as pérolas negras
de luiz melodia ao vento

não eu não podia ler
placas
destinos
quilometragens
seus palavrões suas gargalhadas
atravessavam a estrada
quando minhas mãos
invadiam desvios
você lançava fumaça na minha cara
puxava meus óculos
a mais de cem por hora

o tempo
espalha os que se amam
estrada afora
mas há caronas
que vão muito além
de qualquer viagem
como se nos dissessem
que na vida
só vale o que se extravia.

Comentários

Postagens mais visitadas