Mapas


















O mapa de existir
não possui medidas.
Há mil caminhos,
mas nunca estou por perto
quando se forma
a orquídea mais bela
na borda.

Alguns assinalam
atalhos,
mas cultivo o desvio,
a estrada mais estreita
no peito,
o beco mais escuro.

Não sei a direção dos ventos,
desconheço a geografia,
a fauna,
a flora,
o subsolo.
Sei apenas de sol
e nuvens,
além da chuva
do outro lado da montanha.

Desaprendi o que anunciam
as palavras nas placas
à margem.
Provavelmente todas  indicam
que qualquer lugar
é um lugar qualquer.

Todo mapa é vingança,
extravio,
périplo vazio,
geometria nefasta,
samba para turista.

Mapa é tudo o que nos afasta
da viagem.

Comentários

Postagens mais visitadas