Duelo



















Esgrima no escuro, outro florete
ausente, o que se golpeia não sente
filete vermelho no meio do peito.
Pelos cinzas chamuscados de esquivas
invocam rubros demônios da noite.

Ouve-se falsa respiração, falta
de fôlego da vingança ao caírem
lâmina, lágrimas e mil palavras
na lixeira de plástico lilás.
Um sonho sangra na ponta da sombra.

Comentários

Postagens mais visitadas