terça-feira, 12 de julho de 2016

Hotel Suspenso















Por uma fresta
entre a janela e a cortina
entra um suspeito de asas
à procura de pouso e almoço.

Hierático,
suspenso em silêncio na neblina
da lateral esquerda do quarto barato em Ouro Preto,
olho com ódio o hóspede inoportuno.

Permaneço imóvel
enquanto os olhos rezam promessas,
apesar do intruso miserável.

Não posso perder
o ouro fino da memória de teu corpo
na ladeira sinuosa
que sobe pedras e serpentes
de lençóis puídos
até o ponto mais alto da ausência.

Cica dos oitis

Cica dos oitis      Um contrassamba para Hélio Oiticica O sol cica dos oitis seca redundância um gole de parangolé pin...