Cidade anelante

Trabalho de Escif, artista de Valência-Espanha


















Arremessar
lâmpadas
e palavras
contra
a solidez
obtusa
das muralhas
até
derrubá-las

Desarmar
a cidade,
desmurá-la

Despi-la
de senhas,
despedir
áreas infensas
à alegria coletiva,
perder-se
em labirintos
de alumbramento

Pedi-la
sem decretos,
desertos,
deserções

Amorosamente
mirá-la
refundá-la sem zonas de guerra
aberta a todos
que nela sambam e sonham
mesmo que o rumor
do ruir de muros de medo
não passe
de leves passos
de poesia na noite tropical.


Postagens mais visitadas