Café insolúvel

















A dança dos tangarás
na teia azul do firmamento
desentranha uma antiga tese
que nega o movimento.

Oposta ao gesto alado,
a gleba renegada,
a página negra onde moro,
afirma, confirma e reafirma
que jamais ousei um passo.

Talvez a preguiça impeça,
talvez a paralisia;
talvez porque o meu ato
não comprove a minha teoria.


Comentários

Postagens mais visitadas