Gesshu Soko (Japão, 1618-1696)





















O monge zen Gesshu Soko (Japão, 1618-1696) deixou-nos este incrível "Poema da morte":

Inspira, expira,
adiante, atrás,
vivendo, morrendo:

As flechas lançadas
voam umas contra as outras,
no ar se encontram e dividem
o vazio em sua volta.
Assim volto à origem.




Comentários

Postagens mais visitadas